(32) 3421.2085 | (32) 3421.3863
01/10/21 - Eventos e atividades coletivas
Carmelitas lançam livro sobre a vida de Irmã Maria de Santa Joana D’Arc

A Congregação das Irmãs Carmelitas da Divina Providência promoveu, na noite de ontem, o lançamento do livro “Confidências de Irmã Maria de Santa Joana D’Arc”, de autoria da Irmã Marlene Frinhani. O evento, realizado por videoconferência, foi transmitido ao vivo, pelo Youtube. A publicação é o 4º volume da coleção “Vasos de Barro e Seus Tesouros”, um projeto que vem resgatando a memória das Carmelitas da Divina Providência, contando vivências de importantes religiosas que fizeram parte da congregação.

“Irmã Joana D’Arc tinha uma espiritualidade muito profunda. Ela morou em nosso colégio no início de sua vida religiosa e as irmãs tinham grande admiração por ela”, afirmou o professor e historiador Gilmar Moreira Gonçalves, curador do Memorial Carmelitas da Divina Providência. Gilmar colaborou, com Irmã Marlene, nas pesquisas para que o livro pudesse ser concluído.

Ao consultar arquivos da Casa Central da Congregação, Irmã Marlene encontrou vasto material deixado por Irmã Maria de Santa Joana D’Arc. Daí buscou compreender por que ela era chamada de santa e de guerreira pela comunidade das Irmãs Carmelitas da Divina Providência. O nome, ela recebeu no convento, em homenagem à Joana D’Arc, a heroína da Guerra dos Cem anos, que se tornou a santa padroeira da França, tendo sido queimada em praça pública, com apenas 19 anos, em 1431.

Seu nome de batismo, no entanto, era Gilda Soares Brandão. Nasceu no distrito de Sereno, em Cataguases, em 4 de outubro de 1903. Era filha do casal Horácio Augusto Thomáz Correia Brandão e Rita Soares Brandão. Fez seus votos perpétuos à Congregação em 1935, em cerimônia datada em 16 de julho, na Capela Nossa Senhora do Carmo, em Cataguases.

Irmã Joana D’Arc foi educadora no Colégio Carmo de Cataguases, onde iniciou sua vida profissional. Entusiasmada com a Educação, foi professora, também, em outros colégios Carmo, em Viçosa (MG), Anchieta (ES) e Caratinga (MG). Neste último, foi, inclusive, diretora da escola. Artista talentosa, além de seus livros publicados com poemas e prosas, pintava e tocava piano.

Tornou-se historiadora e iniciou sua trajetória de escritora registrando suas confidências; “diálogos internos”, como nomeou. São seus sentimentos mais íntimos, fortemente ligados à sua vida espiritual, profissional e artística. Essas confidências estão, agora, eternizados no livro, que apresenta também diversas fotos, revelando trajes e posturas típicos da época, como o hábito preto e branco, que deixava apenas o rosto descoberto. Irmã Maria de Santa Joana D’Arc faleceu aos 53 anos, em 11 de outubro de 1956.

Quem tiver interesse em adquirir um exemplar do livro de Irmã Marlene pode entrar em contato com o professor Gilmar no Memorial Carmelita, que fica no segundo andar do Educandário Dom Silvério, pelo telefone (32)3422-1398.

A videoconferência de lançamento do livro está disponível no canal da Congregação no Youtube e pode ser revisto a seguir:

 

Comentários